Relatos de viagem: Torres Del Paine – Circuito Q – O mais completo do Parque!

Torres del paine paraíso

Saiba como foi essa jornada incrível de 8 dias percorrendo mais de 140 km pelo Parque Nacional de Torres del Paine! Teve sol, chuva, frio, fome, erros de percurso, pumas, equipamentos perdidos, paisagens de tirar o fôlego e muuuito mais!

É isso pessoal! Agora que vocês já sabem tudo sobre o Parque (aos marinheiros de primeira viagem eu explico: Aqui no blog vocês encontram um resumão de tudo que se precisa saber sobre o Parque! Só clicar aqui! 😉 ) eu gostaria de compartilhar com vocês o dia a dia de um dos trekkings mais incríveis que se pode fazer pela América do Sul! O circuito Q do Parque Torres Del Paine, na Patagônia Chilena!

Até porque me sinto moralmente obrigado a ajudar no mínimo que seja no planejamento da viagem dos próximos aventureiros (que fique registrado, 99% das informações, dicas e sugestões para essa viagem eu colhi mochilando na web, daqueles que de forma tão gratuita dispuseram de seu tempo para compartilhar experiências conosco e auxiliar novos desbravadores! Valeu senhores! ::otemo:: ).

O ROTEIRO

 

Muita gente fala sobre o circuito W ou comenta sobre o circuito O do Parque… Mas o que pouca gente sabe é que o circuito original do Parque é o Q!

circuito Q torres del paine

Os números 1, 2 e 3 indicam por onde pode-se iniciar o percurso. O ônibus chega de Puerto Natales pelo “1” (onde todo mundo tem que que descer para assinar a papelada do Parque) e depois o trekker tem a opção de voltar pro bus e seguir até as próximas paradas!

Ele começa na ponta sul de Torres del Paine e segue para o norte, ignorando o trek’ W ‘ por exemplo. Na verdade ele incorpora o ‘W’ e o “O”, permitindo que se caminhe não só pelo lado sul do Parque como circunde o lado norte.

E digo para os senhores… É lá que você experimenta a verdadeira beleza, paz e a serenidade que a natureza indescritível daquele lugar oferece ::love:: .

Com muito menos trekkers e nenhum “caminhante de apenas um dia” ao redor, é possível ter uma experiência genuína com o seu “eu interior” rsrsrs.

Acampar é uma obrigação nos refúgios mais isolados e o tempo de fato se mostra um fator decisivo nessa aventura!

Nesse circuito o viajante encontrará falésias, muuitas fontes de água, ventos fortíssimos, bosques encantadores, pradarias exuberantes, montes nevados… Sem contar na experiência mágica de subir o íngreme John Gardner Pass.

Enfim, tudo isso contribuiu e muito para que esse trekking se tornasse tão desafiador e gratificante.

Espero que gostem e como eu falei no início… Que de alguma forma esse relato auxilie algum mochileiro que esteja navegando pelo fórum em busca de aventura pelas terras encantadas da região de Magallanes.

Segue o detalhamento dos dias:

16/03 – Vitória X São Paulo X Santiago
17/03 – Santiago X Punta Arenas X Puerto Natales
18/03 – 1º dia: Sede Administrativa X Acamp. Paine Grande
19/03 – 2º dia: Acamp. Paine Grande X Acamp. Italiano
20/03 – 3º dia: Acamp. Italiano X Acamp. Torres
21/03 – 4º dia: Acamp. Torres X Acamp. Serón
22/03 – 5º dia: Acamp. Serón X Acamp. Dickson
23/03 – 6º dia: Acamp. Dickson X Refúgio Los Perros
24/03 – 7º dia: Refúgio Los Perros X Refúgio Grey
25/03 – 8º dia: Refúgio Grey X Acamp. Paine Grande
26/03 – Puerto Natales X Punta Arenas X Santiago
27/03 – Santiago
28/03 – Santiago
29/03 – Santiago X São Paulo
30/03 – São Paulo X Vitória

EQUIPAMENTOS

1 Casaco impermeável com um forro removível de fleece;

1 Fleece;

1 conjunto de segunda pele;

1 capa de chuva do tipo “poncho”;

3 camisas (recomendo as do tipo dry fit);

2 calças de trekking (uma repelente à água e outra impermeável)

2 pares de meia de lã (evite as de algodão);

3 pares de meia para Trekking;

2 pares de luva (um para ser usado como segunda pele e um par impermeável);

1 gorro de lã;

1 boné (muito útil para proteger do sol e do vento);

1 Bota impermeável;

1 par de chinelos;

1 óculos de sol (importantíssimo!!);

1 mochila cargueira de 60 litros;

1 mochila de ataque* (É MUITO importante uma mochila de ataque nesse tipo de trekking. Isso evita carregar peso desnecessário em diversos momentos);

Fita do tipo nexcare 3M para os calcanhares, dedos e afins;

Papel higiênico;

Lenços Umedecidos;

2 Lanternas (uma de mão e outra de cabeça);

Pomada para assadura;

1 kit de remédios (p. enjoo, dores musculares, gripe, etc);

Protetor solar;

Toalha de secagem rápida;

Canivete;

Repelente;

Fósforos;

squeeze de água (+/- 1litro);

Máquina fotográfica, cartões de memória, etc.

1 câmera do tipo “gopro”;

1 saco de dormir (5ºC);

1 isolante térmico;

1 par de bastões de caminhada (FUNDAMENTAIS!!! Não deixe de levá-los! Seus joelhos agradecerão muuuuito);

1 barraca de camping para 3 pessoas;

2 mini botijões de gás para camping;

1 panelinha para camping;

1 fogareiro para…. camping! :mrgreen:

MAS VAMOS AO RELATO…

Nosso roteiro para os dois primeiros dias foram bem entediantes: sairíamos de Vitória (VIX) às 9h42min e chegaríamos a São Paulo (GRU) às 11h20min. De lá tomaríamos um “chá de cadeira” e partiríamos para Santiago só às 18h50min, com previsão de chegada às 23h10min. Em Santiago, pegaríamos um voo para Punta Arenas, cujo embarque estava previsto para às 02h.

Aeroporto Santiago

Pior do que um trekking de 8 dias, sem dúvida nenhuma, são os bancos dos aeroportos

Já em Punta Arenas (por volta das 05h25min), embarcaríamos numa van (pode ser também num taxi) que nos levaria ao Centro da cidade. De lá pegaríamos um ônibus para Puerto Natales numa dessas empresas (+ 3h de viagem) ::hein: : buses pacheco, buses fernándes ou bus-sur.

Fomos pela buses fernández simplesmente por conta do horário em que o ônibus sairia (comodidade). Não vimos diferenças significantes no tipo do ônibus ou coisa assim e não tivemos problema algum durante a viagem, só sugiro estarem prontos para o embarque pelo menos 20 min antes…

Chegamos em Puerto Natales por volta das 16h e já compramos as passagens para o Parque com saída prevista para às 7h do dia seguinte (sugiro que façam isso tão logo cheguem na cidade, é mais barato do que com as agencias de viagens do Centro e vocês ficam tranquilo sabendo que a ida para Torres está garantida).

Rodoviaria Puerto Natales

Puerto Natales-Rodoviario

Ao fundo, a rodoviária de Puerto Natales

Fomos para o hostel que havíamos reservado chamado Casa Cecilia (Um dos poucos que oferece um serviço de café da manhã completo e que tem parceria com empresas de ônibus que te levam de manhã para a rodoviária!) e depois resolvemos andar pela cidade em busca de suprimentos.

Ponto turistico em Puerto Natales

Porto da cidade. Infelizmente Puerto Natales não tem muitos atrativos turísticos… A cidadela é considerada apenas um elo de ligação entre os viajantes e Torres del Paine.

O QUE LEVAMOS PARA COMER

Fora a comida liofilizada que trouxemos do Brasil, eis a nossa lista:

  • 8 rações de comida liofilizadas (uma por dia, ingeridas no café da manhã… Eu sei, é estranho no começo mas depois você acostuma!)
  • 4 pacotes de sopa instantânea
  • 4 pacotes de miojo
  • 8 pacotinhos contendo um mix de sementes e frutas cristalizadas que você encontra facilmente no Centro da cidade
  • 8 sachês de carboidrato em gel
  • 8 barrinhas de cereal
  • 8 barrinhas de proteína
  • Café solúvel
  • 2 pacotes de biscoito recheados (porque ninguém é de ferro)
  • 6 pães com queijo que ao longo dos dias foram ficando deliciosos (e duros como uma pedra)
Organizando a mochila

Hora de organizar a bagunça!

Equipamentos conferidos, mochila pronta, adrenalina a mil…. era o momento de relaxar e acumular gordura para aventura! Nossa escolha? Lomito´s

Restaurante Lomitos

Como não sou nenhum crítico de gastronomia me atrevo a dizer apenas que estava tudo muito bom! Na minha opinião valeu a pena! Comemos muito e nem pagamos tanto! (um prato para dois saiu por menos de 50 reais 8) ).

Alimentados, hora de dormir porque nossa jornada estava apenas começando! Haja coração!

Cerveja Torres Del Paine

Indo dormir pensando na “cerveja”…

No próximo post… O início da aventura que mudaria o modo como encaramos o mundo, as pessoas e a natureza!

Até lá!

7 comentários sobre “Relatos de viagem: Torres Del Paine – Circuito Q – O mais completo do Parque!

  1. Cibele Carvalho

    Muito bom, gostei muito de ler, estou no planejamento para esse Circuito, acompanhando seu blog, informações valiosas. Sou capixaba também, e pretendo ir em dezembro. Obrigada pelo conteúdo.

    Uma dúvida, tem valores das passagens de bus para o parque, e valor do hostel?

    1. @mochilandonaweb Autor da Postagem

      Olá Cibele! Que bom que esteja gostando! O único objetivo desse meu “atrevimento” como escritor aqui do blog é contribuir e incentivar as pessoas a conhecer esse paraíso chamado “Torres del Paine”!! Obrigado pelo elogio e pode contar sempre comigo blz?! Dúvidas, orientações, sugestões… Terei o maior prazer em ajudar!
      ———-
      Quanto a sua pergunta… Tenho sim, segue (valores de março de 2016 ok?!):

      Do aeroporto de Punta Arenas até o Centro da cidade: 3 mil pesos chilenos em vans próximas e que passam com bastante frequência. Super tranquilo e seguro.

      Do Centro de Punta Arenas até Puerto Natales: 6 mil pesos chilenos. Opte por uma dessas empresas (são as mais confiáveis) – Buses Fernández, Buses Pacheco ou Bus – Sur.

      De Puerto Natales até Torres del Paine: 15 mil pesos chilenos.

      Aqui fica uma dica: Compre as passagens de ida e volta para o Parque tão logo chegue na cidade de Puerto Natales. Você verá vários guichês dentro da própria rodoviária. Presenciei uma turma desesperada que deixou para comprar no dia e as passagens tinham se esgotado. Digo mais… Garanta também o retorno para Punta Arenas!!! Pior do que perder um dia no Parque é perder o voo de volta né rsrsrs!
      ———-
      Quanto aos valores dos hostels na cidade e dos campings/albergues dentro do parque:
      Em Puerto Natales ficamos num hostel havíamos reservado pelo booking (na lateral direita aí do site tem um link) chamado Casa Cecilia (Um dos poucos que oferece um serviço de café da manhã completo e que tem parceria com empresas de ônibus que te levam de manhã para a rodoviária!). Valor: 150 reais a diária para 2 pessoas (só tome cuidado porque esses valores são de baixa temporada ok?!)

      No Parque:
      Acampamento italiano: GRÁTIS
      Los Cuernos: 8.500 pesos chilenos
      Las torres: GRÁTIS ((Necessita de reserva!!!))
      Serón: 8.500 pesos chilenos
      Dickson: 4.300 pesos chilenos
      Los Perros: 4.300 pesos chilenos
      Acamp. Paso: GRÁTIS
      Refúgio Paine Grande: 5.200 pesos chilenos

      Espero ter ajudado! Novas dúvidas é só chamar! Abraços, boa viagem e nos conte depois como foi essa trip maravilhosa!

    2. @mochilandonaweb Autor da Postagem

      Ei conterrânea! Bom te ver por aqui novamente! Como está o planejamento para a viagem? Desculpe o atraso na resposta, tive alguns probleminhas no site que só foram resolvidos definitivamente nessa semana 🙁

      Mas então, tenho os valores sim! Até pesquisei para você se em dezembro os valores são diferentes de quando eu fui e, pelo que me disseram, são os mesmos!
      15 mil pesos chilenos (da cidade de Puerto Natales até o Parque)

      O valor do hostel, quando fomos, girava em torno de 150 reais. Digo para você que valeu muito a pena! O café da manhã era super completo (ouvimos relatos de quem estava em outras pousadas e digo p. você, com toda certeza, que o desse hostel era um dos melhores da região), os quartos bem limpos e isolados, Wi-fi em tempo integral (acredite, em algumas pousadas não era assim), área de convivência bem aconchegante…

      Deixei o link do hostel para você aqui, é só clicar no nome dele: Casa Cecilia

      1. gabriela

        Olá novamente ! Vi que você passou a manha em Punta Arenas. Achas que esse periodo é suficiente pra ir na loja Balfer na Zona Franca fazer umas comprinhas ?

        Que tipo de queijo é bom levar para o parque ?

        Sua alimentação parece não ter pesado quase nada …. foi suficiente ? ou você recomendaria levar mais ou algo que você não levou ?

        Sabe dizer se encontro fácil congumelos secos em Puerto Natales ?

        Você preferiu comprar as comidas ai ou é porque não é permitido levar do Brasil ?

        O que você tem pra falar sobre a comida liofilizada ?
        ^^

        1. @mochilandonaweb Autor da Postagem

          Ei Gabriela! Como sempre um prazer ver seus comentários por aqui! 😉

          Vamos lá:
          1. Dá tempo de ir na loja Balfer sim… Talvez você chegará um pouco tarde em Puerto Natales por conta disso mas nada que comprometa a aventura! Só sugiro que vá direto p. lá (tão logo chegue no aeroporto).

          2. Então… Nós optamos por aqueles queijos mais duros sabe?! Tipo provolone, que vem no formato de uma salsicha (além de ser mais fácil de guardar na mochila ele resiste mais tempo fora da geladeira.

          3. A alimentação foi suficiente sim… No começo você sente um pouco mais de fome já que o organismo não está muito acostumado com a restrição de horário e quantidade mas depois do 2º dia ele já se adaptou. Se eu te disser que sobrou comida no final vc acredita?! kkkk… Mas enfim, só fico com receio de opinar mais em relação a isso porque é algo pessoal entende?! Vai de cada um e eu não quero que você fique com raiva de mim por ter passado fome lá né!! rsrsrsrs…

          4. Vish… Não sei se dizer Gabriela, confesso que não me atentei quanto a isso, desculpe. Essa eu vou ficar te devendo…

          5. No Chile existem algumas restrições quanto a entrada de certos produtos… Daí como eu não entendi direito sobre o que podia e o que não podia nos diversos sites que pesquisei sobre o assunto resolvi levar do Brasil só as barrinhas de cereais e proteína e a comida liofilizada (esses alimentos eu tinha CERTEZA que podia entrar no Chile). Mas quer saber, foi até melhor… Em Puerto Natales você encontrará muita variedade a um preço bem acessível.

          6. Então… A comida liofilizada é bem calórica e nutritiva. Diferente do que alguns dizem, eu gostei rsrs. Te sugeriria comprar de sabores variados (para o caso de um deles você achar horrível) e experimentar um prato antes da viagem, para saber se você gostará ou não.
          Caso não goste, creio que sua alternativa será o bom e velho miojo com atum ou sopa concentrada de letrinhas com lentilha, por exemplo.

          Mais dúvidas, à disposição ok?! Forte abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *